A EEC PROVERE destina-se a promover a competitividade sustentável dos territórios de baixa densidade, dinamizando atividades económicas (produtoras de bens e serviços transacionáveis) inovadoras e alicerçadas na valorização de recursos endógenos, tendencialmente inimitáveis do território, como sejam recursos naturais, património histórico, saberes tradicionais, entre outros.

Através do PROVERE DOURO 2020, a conjugação dos esforços do investimento público, fundamentalmente autárquico, com o investimento complementar privado ou empresarial, alicerçado na valorização do recurso endógeno “Douro enquanto capital simbólico e identitário (re)conhecido mundialmente”, permitirá a dinamização de atividades de base económica inovadoras, o incentivo à atividade turística e o desenvolvimento e valorização dos produtos tradicionais.

A apresentação das linhas globais da Estratégia e a assinatura oficial do consórcio no montante candidatado de 8,5 milhões de euros, foi realizada no dia 10 de abril, no Museu do Douro, na Régua.

“Este programa é uma oportunidade para que a região do Douro encete uma trajetória de convergência nacional e europeia, sustentada na valorização económica dos recursos endógenos, na capacidade de diferenciação, inovação e competitividade num contexto sustentável, inclusivo e de cooperação interna e com o exterior.

Em causa está o apoio a investimentos estruturados por um consórcio de entidades, que promovam territórios de baixa densidade, caracterizados como dispondo de escassez de recursos empresariais, de capital humano, de capital relacional, de população e de dimensão urbana.

Ainda que consideremos a verba de oito milhões e meio de Euros reduzida face às expectativas inicialmente previstas, foi possível enquadrar projetos âncora transversais aos 19 municípios da CIM Douro: o Plano de Sinalética para o território do Douro e a implementação de um Plano de Marketing para o território.

Consequentemente, este PROVERE contempla projetos dos 19 Concelhos da CIM Douro, contendo uma dimensão igualmente supramunicipal, de promoção global do território, concorrendo para a consolidação de áreas fundamentais na nossa região:

– o reforço e qualificação de valores patrimoniais que podem integrar produtos turísticos orientados para o touring cultural e paisagístico e para o turismo cultural;

– mercados do Douro – rede de espaços de promoção e venda de produtos endógenos;

– e organização de produtos e espaços naturais associados à promoção do turismo de natureza: Vale do Côa, Douro Vinhateiro, Vale do Távora e Vale do Varosa.””

O presidente da CIM apresentou a 4 linhas orientadoras do documento “Douro 2030 Estratégia para uma Década”

– UM TERRITÓRIO INTERLIGADO E CONECTADO, ATRATIVO E INTERNACIONALIZADO;

– UM TERRITÓRIO EMPREENDEDOR E INOVADOR/QUE VALORIZA O SEU CAPITAL HUMANO;

– UM TERRITÓRIO EFICIENTE E SUSTENTÁVEL | INCLUSIVO E SOCIALMENTE COESO;

– UM TERRITÓRIO QUE CAPACITA AS SUAS INSTITUIÇÕES | DE PARCERIAS E EM REDE;

Promovido por:

Co-financiado por: