Realizou-se no dia 15 de Setembro, na cidade de Peso da Régua, no auditório Municipal um grande debate subordinado ao tema ” A linha do Douro, um Futuro que tarda”, organizado pela Associação Vale D’Douro em parceria com a Câmara Municipal da Régua.

O evento contou com a presença de vários autarcas do Douro, deputados da republica, muitos técnicos e especialistas na temática, assim como cidadãos que discutiram a situação da linha do douro, numa perspectiva de futuro.

O debate iniciou com a intervenção do Presidente do Município de Peso da Régua, José Manuel Gonçalves, anfitrião do evento, que reivindicou que a reabertura da Linha do Douro seja considerado que seja um projeto de interesse nacional, comprovado já pelo ponto de vista técnico dos vários estudos elaborados ao longo do ano e pelo valor acrescentado que traz à região Duriense.

Os vários especialistas presentes foram enquadrando o plano de intervenção do Governo na ferrovia, especialmente com a eletrificação prevista para alinha do Douro e procuraram perspectivar o futuro, nomeadamente o papel que a linha pode desempenhar no turismo, tanto no contexto nacional mas também ibérico. A revitalização da linha do Douro, a sua eletrificação total e ligação a Espanha foram ideias defendidas pelos especialistas, pelas vantagens turísticas e económicas uma vez que a linha do Douro é a ligação ferroviária mais rápida a Espanha e por consequência à Europa.

Nesta linha, também a Comunidade Intermunicipal (CIM) do Douro na estratégia que delineou para a década 2020-2030, considera a rede ferroviária de transportes e infraestruturas como “estruturante para a região”, destacando por isso a “importância da reabilitação e eletrificação de toda a linha ferroviária do Douro até à cidade do Peso da Régua, bem como a ligação a Espanha”.

Esta posição da CIMDOURO é reforçada pela Comissão Europeia que reconheceu que a linha do Douro é de “grande potencial em termos turísticos e de coesão social”, no âmbito das ligações ferroviárias transfronteiriças

A responsabilidade da sessão de encerramento coube ao o Presidente da CIMDOURO, Carlos Silva Santiago que apelou ao Governo a reabilitação da linha e sua ligação a Espanha, e que seja considerada um desígnio nacional”, vital para o sucesso da região norte, “agora é a vez do Douro”.

Promovido por:

Co-financiado por: