Carlos Silva Santiago

Presidente da Comunidade Intermunicipal do Douro

A Comunidade Intermunicipal CIM-Douro, criada em 15 de outubro de 2008, compreende os municípios de Alijó, Armamar, Carrazeda de Ansiães, Freixo de Espada à Cinta, Lamego, Mesão Frio, Moimenta da Beira, Murça, Penedono, Peso da Régua, Sabrosa, Santa Marta de Penaguião, São João da Pesqueira, Sernancelhe, Tabuaço, Tarouca, Torre de Moncorvo, Vila Nova de Foz Côa e Vila Real.

Convergem nesta grande região concelhos dos distritos de Bragança, Vila Real, Viseu e Guarda, ocupando mais de quatro mil quilómetros quadrados de área total e servindo mais de 200 mil habitantes.

A dimensão da CIM-Douro é reveladora do potencial imenso que esta diversidade encerra, notável no caráter das suas gentes, na pluralidade da paisagem, na abundância e riqueza patrimonial e numa incontestável aptidão para gerar produtos agrícolas de excelência.

O coração geográfico da CIM Douro é o Douro. Região indelevelmente marcada pelo rio que lhe dá nome, é nele que encontra a maior riqueza e desvenda todo o seu sentido turístico.

Contudo, da Beira e de Trás-os-Montes recebe o granito e os produtos de montanha, como a castanha, a maçã, a amêndoa, o azeite, enfim a identidade de um território rico nos contrastes do seu solo. Riqueza espelhada também na longa lista de escritores que aqui nasceu, gente que viu, registou e perpetuou para a nossa geração um país e uma região autênticos, de que são inquestionáveis porta-estandartes Aquilino Ribeiro e Miguel Torga.

História e património são referenciais de todos os concelhos da CIM Douro. Testemunham a evolução, a presença de várias civilizações, e de todas recebemos uma importante herança cultural, física e imaterial.

A paisagem é, contudo, a nossa maior impressão digital, com os socalcos de vinha a comprovarem a nossa antiguidade, mas também como marco cimeiro em Portugal da obra do homem e da sua excecional capacidade de coexistir com a natureza e dela retirar sustento e segurança.

De igual dimensão é vale do Douro, Património da Humanidade, por onde hoje os 19 concelhos desejam, com legítima esperança, que os barcos corram lestos os ventos do progresso.

Desejam que a via navegável não se restrinja a rotas com partida e chegada definidas, mas que, pela sua dimensão e ganho de escala, conduzam o Douro à Europa, ao patamar de desenvolvimento que a região deseja e que as gentes tanto merecem.

O Douro, hoje mais do que nunca, é uma grande cidade que vive de forma intensa e empenhada a procura da convergência e da excelência.

Esta página, um recurso multimédia de inquestionável valia, uma ferramenta de trabalho única para uma entidade que quer ser decisiva no presente e no futuro da região, é um espaço aberto, participativo, interativo, onde informamos sobre quem somos, o que fazemos e para onde pretendemos dirigir-nos.

O Presidente da CIM Douro,
Carlos Silva Santiago

Promovido por:

Co-financiado por: